1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer

ESCIDE aposta em parcerias internacionais para incrementar capacidade interna na docência

iscide-jog

Com vista a incrementar a sua capacidade interna e garantir melhor
qualidade de ensino, a Escola Superior de Ciências do Desporto da UEM (ESCIDE) está a apostar na busca de parcerias internacionais que lhe permitam o fortalecimento interno e garantir a sua robustez na formação de quadros.
Para o efeito, cinco docentes cubanos com larga experiência de docência nas diversas especialidades das ciências do desporto como Gestão Desportiva, Desporto Adaptado e Saúde, Treino Desportivo, incluindo modalidades desportivas, já se encontram no país desde 17 de Fevereiro último, numa primeira fase para um período de dois anos.
A vinda destes professores resulta de um trabalho aturado desenvolvido pela ESCIDE, em coordenação com o Gabinete de Cooperação da UEM, na procura de soluções internacionais para colmatar problemas internos já identificados, sendo a face mais visível a falta de professores especialistas para algumas áreas do curso de Licenciatura em Ciências do Desporto.
Foi assim que, no ano passado a direcção da escola decidiu rumar para Cuba e Portugal no mês de Abril, onde foram muito bem recebidos e lhes permitiram firmar parcerias não só para a docência mas também para a formação de docentes nos níveis de mestrado numa primeira fase e posteriormente para o doutoramento.
Para o mesmo âmbito, recentemente, o Director da Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra, Portugal, Prof. Doutor António Figueiredo visitou a Escola Superior de Ciências do Desporto para se inteirar de perto e auscultar junto da direcção as reais necessidades e, deste modo, se encontrar soluções concretas.
Como resultado da visita, uma das soluções propostas pela Universidade de Coimbra prende-se com a formação de docentes. Assim, todos os docentes da ESCIDE sem o nível de mestrado poderão beneficiar brevemente, de um mestrado integrado da Universidade de Coimbra, a decorrer em Moçambique, incluindo assistência na montagem de um laboratório.
Segundo a drª. Maria de Lurdes Munguambe, Directora da ESCIDE, a busca de soluções internacionais deve-se ao facto de dentro do país não haver muitas saídas para preencher lacunas na área de formação de docentes especialistas para a área do desporto. Ela explicou que, dos concursos lançados para a contratação de docentes dificilmente se encontram candidatos qualificados. "O nosso curso é profissionalizante e os professores formados aqui no país são maioritariamente de Educação Física e Desportos ", disse.
Nos últimos anos, a Escola Superior de Ciências do Desporto da UEM lançou dois concursos públicos onde foram admitidos ao quadro do pessoal daquela unidade um total de 11 docentes. Neste momento, segundo Munguambe, foi lançado em Dezembro o terceiro concurso público para a contratação de mais professores com vista a reforçar o quadro do pessoal docente.
iscide-diretoraMas a directora reitera a falta de docentes profissionais, entre os candidatos, para os vários domínios das ciências do desportivo. "Os professores que concorrem para ingressar ao nosso quadro de pessoal docente são geralmente formados em Educação Física e Desportos pela Universidade Pedagógica mas os nossos cursos são profissionalizantes e requerem especialistas", frisou.
Disse que neste momento a escola está a trabalhar em três sectores considerados chave para o futuro risonho que o órgão pretende trilhar, nomeadamente: a revisão curricular para a melhoria do plano de estudo, o perfil do candidato ao curso de Ciências do Desporto e a aposta na formação de docentes. São estas as áreas que vão determinar o sucesso da escola nos próximos anos com o aumento de docentes profissionais qualificados nas mais diversas áreas de conhecimento.
"Actualmente enfrentamos problemas da falta de docentes a tempo inteiro em áreas específicas de formação nos cursos como Gestão Desportiva, Pedagogia do Desporto, Metodologia do Treino Desportivo, Psicologia do Desporto, Fundamentos do Desporto Adaptado, Desporto de Desenvolvimento, etc. ", lamentou.
Quanto aos professores cubanos, espera-se que quando terminar a sua estadia no país tenham ajudado na formação do pessoal docente local.
Em Moçambique, os professores cubanos afirmam estar satisfeitos com o trabalho que têm estado a desenvolver juntamente com os moçambicanos. Edmundo Cláudio Pérez, mestrado em Jogos e Ciências Desportivas e Doutorado em Ciências de Cultura Física, na ESCIDE, lecciona este semestre as disciplinas de Gestão das Organizações Desportivas e Metodologia do Treino Desportivo I, considera agradável a interacção com docentes e estudantes moçambicanos. Disse que, os estudantes moçambicanos demonstram um grande interesse em aprender.
Enquanto isso, Ruben Martinez, Doutorado em Desporto Adaptado, professor nas disciplinas de Desenvolvimento Motor e Aprendizagem, e Metodologia de Treino para Populações Especiais do ramo Desporto Adaptado e Saúde, disse haver um trabalho conjunto no sentido de adequar o actual quadro curricular da escola às reais necessidades do país.
A Escola Superior de Ciências do Desporto da UEM conta actualmente com 15 docentes efectivos que são auxiliados por docentes destacados, a tempo parcial, de outras faculdades e escolas da UEM. O universo estudantil é de cerca de 190 estudantes.