1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer

UEM e a Universidade do Porto estreitam relações de cooperação

cabluA Universidade Eduardo Mondlane (UEM) e a Universidade do Porto (UP), Portugal, passaram em revista hoje, 29 de Setembro, as suas relações de cooperação em vários domínios do saber e de gestão universitária.
O encontro serviu também para a identificação de novas áreas de cooperação e acções concretas para o incremento da colaboração entre as duas instituições.
A mobilidade de docentes, investigadores e estudantes das duas instituições com vista a partilha de experiências constituiu o ponto de interesse comum. Mas a UEM está interessada igualmente em garantir a formação do seu quadro docente nomeadamente para a Escola Superior de Ciências de Desporto (ESCIDE) e para a Faculdade de Engenharia, entre outros.
No encontro, o Reitor da UEM, o Prof. Doutor Orlando Quilambo, apresentou à delegação Portuguesa, em Moçambique, algumas realizações da sua instituição, decorrentes dos avanços que ela tem estado a registar.
Por outro lado, o Reitor reconheceu a incapacidade interna da UEM para absorver mais estudantes. A esse aspecto Orlando Quilambo frisou a aposta da instituição no ensino à distância para permitir que mais moçambicanos tenham acesso à formação superior.
A Universidade do Porto é a segunda maior instituição de ensino superior de Portugal, com cerca de 30 mil estudantes, dos quais 8 mil são estrangeiros. Só no ano passado, por exemplo, ingressaram naquela instância superior 3 mil estudantes estrangeiros para as áreas das Letras, Engenharias, Belas Artes e Psicologia.
A Universidade do Porto tem uma taxa considerável de graduados por ano. Em 2014, a UP graduou 7 mil estudantes com uma taxa de empregabilidade de 81 porcento.
A Vice-Reitora Académica da Universidade do Porto, a Profª Doutora Maria de Fátima Marinho, que chefia a delegação portuguesa de visita a Moçambique, disse que a sua instituição está amplamente envolvida em programas de mobilidade mercê de acordos de cooperação com várias instituições de ensino superior. Ela manifestou interesse em as duas instituições (UEM e UP) criarem condições que permitam a mobilidade bastando, para o efeito, acordos específicos com esse fim.
Segundo a Vice-Reitora da UP, em 2014, 1.144 estudantes foram integrados em programas de mobilidade para 44 países com destaque para Alemanha e Espanha (Europa) e Brasil, na América Latina.
No final do encontro as duas delegações acordaram reuniões sectoriais para a discussão de aspectos específicos.
A relação de cooperação entre a UEM e a UP é bastante antiga. O primeiro acordo de estreitamento de relações data de 1993 seguido de outros em 1997, 2013 e 2014.