1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer

UEM atribui título de Doutor Honoris Causa a Lurdes Mutola

mutola-podioA Universidade Eduardo Mondlane atribuiu ontem, 19 de Agosto, o título de Doutor Honoris Causa a Lurdes Mutola, em Ciências do Desporto, em sindicância aos contributos prestados por esta ex-atleta, não só na área desportiva, mas também com o exemplo cívico do seu percurso de vida, a dimensão internacional que o seu trabalho alcançou e na glorificação de Moçambique no concerto das nações.
Falando na ocasião, o Reitor da UEM, Prof. Doutor Orlando Quilambo, classificou a atribuição do título honorífico como um tributo justo a uma atleta que através do seu trabalho abnegado, conseguiu elevar o nome do país além-fronteiras.
“Esta cerimónia é o reconhecimento público que a UEM faz a um dos seus melhores filhos que com esforço próprio e espírito de patriotismo conseguiu elevar, através do desporto, para bem alto a Bandeira de Moçambique”, frisou Quilambo.
Uma das atribuições da UEM assenta no reconhecimento público das personalidades que se notabilizaram nas suas respectivas áreas de actuação. “Lurdes Mutola é a diva do nosso atletismo, modalidade desportiva que encontra na Escola Superior de Ciências de Desporto da UEM o seu lugar apropriado”, disse o Reitor, para depois acrescentar que se espera que com os ensinamentos da condecorada a UEM seja o epicentro das actividades desportivas.
Convidada a dar a sua primeira aula de sapiência, Lurdes Mutola destacou os ensinamentos do seu treinador, o norte americano Jeff Fund, que lhe transmitiu a ideia de auto superação como forma de atingir as suas marcas. “Não é suficiente, tens que dar o teu melhor”, dizia sempre o treinador de Mutola.
mutola-peopleA ‘Menina de Ouro’, como é carinhosamente tratada, aproveitou a ocasião para agradecer a UEM pelo reconhecimento, o falecido escritor José Craveirinha, o Antigo chefe de Estado, Joaquim Chissano, ao antigo combatente, Marcelino dos Santos e ao povo moçambicano no geral pelo apoio material e moral, factores determinantes para o seu sucesso.
“Obrigado ao José Craveirinha! Se não fosse ele não sei o que seria de mim. Ele fez-me perceber que tenho talento. Treinei duas semanas com o seu filho, Stelio Craveirinha, mas depois desisti e fui ficar em casa devido as dores e ele [José Craveirinha] veio e disse-me que o desporto me levaria longe,” revelou Mutola, para depois acrescentar que com apoio de Marcelino dos Santos, as portas se abriram nos Estados Unidos e aprendeu muito.
Mutola disse ter recebido, em grandes competições, apoio ao mais alto nível com os telefonemas do antigo Presidente da Republica, Joaquim Chissano, que sempre dizia “…menina, o povo moçambicano está contigo…força Lurdes”. Tal facto despertou na campeã Olímpica e do mundo a consciência de que o atletismo não era uma modalidade individual. “Sempre que corria, sabia que havia muita gente apoiando-me no meu país”, concluiu a Doutora Honoris Causa.
Ao título atribuído pela UEM junta-se a mais alta condecoração nacional, a medalha Eduardo Mondlane de Primeiro Grau, que recebeu numa cerimónia realizada em Dezembro de 2003.
Em Junho passado, o presidente Filipe Nyusi atribuiu a diva do atletismo moçambicano a Medalha Mérito Desportivo pelas conquistas da atleta ao longo da sua carreira.
Mutola já tinha recebido em 2008, do Governo, o título honorífico de “Herói do Trabalho”.
A atleta ganhou o título olímpico dos 800 metros nos Jogos Olímpicos de Sydney de 2000 e o título mundial em Edmonton, em 2003, além de vários triunfos em pista livre e coberta ao longo dos 20 anos de carreira.
Mutola contabiliza ainda três títulos de campeã do mundo de pista aberta; sete títulos de pista coberta. Em 1998 e em 2002 ganhou Ouro nos Jogos da Commonwealth, para além de importantes meetings em Espanha, Suíça e EUA.
O evento de atribuição do título, que foi bastante concorrido, decorreu no Centro Cultural Universitário da UEM e contou com a presença de diversas individualidades das áreas política, académica, desportiva, familiares, amigos, entre outros convidados.