1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer

UEM reabre Residência Universitária número 1

SELF 1 A UEM procedeu na tarde de ontem, 05 de Agosto, a reabertura da Residência Universitária número 1, popularmente conhecida por "SELF". Trata-se de um empreendimento com 09 pisos e 87 quartos com capacidade de receber entre 1 a 3 estudantes cada. Um dos pisos é reservado a salas de estudos, de informática, de visita e de lazer.
A obra possui ainda um terraço com dois apartamentos do tipo 2, dois escritórios, uma lavandaria com duas máquinas de lavar roupa, duas máquinas de secar e dois tanques para lavagem manual e um refeitório no rés-do-chão.
A Residência Universitária número 1 foi totalmente apetrechada com vista a poder oferecer ao s estudantes um padrão de vida considerado confortável. A ideia é avançar para a reabilitação de outras residências para conferir o mesmo conforto aos estudantes que nelas residem.
Todavia, a Direcção dos Serviços Sociais da UEM (DSS) reabriu a residência 1 "SELF" avançando com novas características de uso para garantir a conservação e preservação do investimento feito. Assim, a residência passa a ser mista, reduz a capacidade de 263 estudantes na altura do encerramento, para 160 actualmente.
O oitavo andar está reservado para estudantes de pós graduação e, do terceiro ao sétimo andar, aos estudantes de graduação.
Para habitar nesta residência foram seleccionados estudantes de outras residências que apresentaram requisitos de melhor comportamento e disciplina, demonstração de higiene e limpeza dos quartos onde residiam, a participação nas escalas de limpeza nos espaços comuns entre outros requisitos igualmente tidos em conta.
Na ocasião, o Reitor da UEM, o Prof. Doutor Orlando Quilambo, frisou que o "SELF" reveste-se de um valor simbólico para a UEM por ter acolhido ao longo do tempo diversas individualidades durante o seu processo de formação.
Quilambo, disse que a reabertura da residência número 1, além de contribuir para a melhoria da acomodação dos estudantes restitui à cidade, em condições excelentes, um dos marcos de que ela se orgulhou e continuará a se orgulhar.
"Quantos estudantes da cidade de Lourenço Marques e da UEM, de várias faculdades e unidades passaram aqui as suas refeições, quantos convívios não tiveram lugar aqui, quantos enfermos não saíram daqui com outro alento e quantas decisões não foram aqui tomadas", disse.
Contudo, o Reitor exortou aos estudantes para valorizarem o esforço do governo e da UEM em garantir as condições actuais usando correctamente o edifício para que ele tenha mais tempo de vida útil.
Falando em representação do Ministro da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Profissional, Manuel Bazo, apontou a assistência social estudantil como um direito social que visa minimizar o impacto das desigualdades sociais e melhorar a permanência dos estudantes na Universidade durante a formação.SELF Entretanto, Manuel Bazo reconheceu que a criação de uma assistência social condigna continua a ser um grande desafio para o governo moçambicano, por isso, louvou os esforços levados a cabo pela UEM e outras instituições de ensino na criação de condições com vista a minimizar as dificuldades que os estudantes enfrentam durante o tempo de formação.A Residência Universitária Estudantil número 1, foi inaugurada em Abril de 1968, como Casa Universitária dos Estudos Gerais de Moçambique, na altura com capacidade para alojar 54 estudantes.
Em 2013, aquando do encerramento para acolher obras de reabilitação o empreendimento alojava 263 estudantes do sexo masculino.