1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer

Melhoria da qualidade de ensino passa pela oferta de melhores curricula

Graduacao InhambaneO Reitor da Universidade Eduardo Mondlane, Prof. Doutor Orlando Quilambo, disse hoje que a melhoria da qualidade de ensino e a excelência académica passam necessariamente pela oferta dos melhores curricula, aplicação das melhores metodologias de ensino e disponibilização dos mais ricos e diversificados recursos de ensino-aprendizagem.
Falando na cerimónia de graduação de 118 licenciados da Escola Superior de Hotelaria e Turismo de Inhambane (ESHTI), Quilambo explicou que foi em reconhecimento da importância de que se revestem esses condicionalismos da qualidade de ensino e de excelência que, em 2014, desenvolveu-se o processo de auto-avaliação dos cursos de Licenciatura em Gestão Hoteleira e de Licenciatura em Informação Turística.
Segundo disse, o processo de auto-avaliação dos cursos continuará e deverá ser uma prática constante, sendo que neste ano serão submetidos à avaliação os cursos de Licenciatura em Gestão de Mercados Turísticos e de Licenciatura em Animação Turística. Disse ter iniciado já a implementação do plano de melhorias, visando não só a eliminação das fraquezas detectadas nos cursos já avaliados, como também a maximização dos pontos fortes identificados.
A ESHTI lançou ao mercado de trabalho licenciados em Gestão, Gestão de Marcados Turísticos, Gestão Hoteleira, Animação Turística, Informação turística e em Turismo, ramo de Planeamento Turístico. Com os actuais graduados totaliza 630 técnicos superiores graduados pela Escola desde o início das suas actividades, em 2003.
O Magnífico Reitor afirmou que apesar de as estatísticas gerais apontarem para uma satisfatória taxa de graduação em tempo útil na ESHTI, esforços estão em curso para o aumento de graduações, seguindo o desafio a que a instituição se propôs.
“O aumento do número de graduados, a cada ano, não pode, no entanto, dissociar-se da luta pela melhoria da qualidade de ensino e pelo alcance da excelência, atributos de que somos detentores e com os quais somos inquestionavelmente reconhecidos, a nível do país, da região e do mundo”, disse o Reitor.
“É também nossa intensão e já estamos a trabalhar para aumentarmos a oferta de cursos aqui na ESHTI e em toda a UEM como forma de responder às necessidades crescentes de técnicos qualificados nas mais diversas áreas do saber e diferentes sectores produtivos”, acrescentou.
Por sua vez, o director provincial dos Recursos Minerais e Energia de Inhambane, Dino Milice, disse que a ESHTI desempenha um papel fulcral no desenvolvimento daquela parcela do país, através dos seus graduados, que ocupam continuamente cargos técnicos e de decisão, tanto a nível municipal e distrital, como a nível provincial e central assim como nas instituições privadas e nas Organizações Não-Governamentais.
Dino Milice, que falava em representação do Governador da Província, Agostinho Trinta, congratulou a Escola pelas actividades de extensão que desenvolve, afirmando que “o seu impacto é promissor para a indústria do turismo que vem reclamando pela falta de cursos de curta duração para capacitar o pessoal empregado nos nossos estabelecimentos de alojamento e restauração.


Centro de Excelência em Hotelaria

Em parceria com o Governo e o sector privado, a ESHTI está a criar Centro de Excelência em Hotelaria e Turismo. O Centro tem como missão promover a pesquisa, formação de curta duração, capacitação e extensão, desenvolver a consultoria e prestação de serviços para garantir a excelência nas áreas de hotelaria e turismo, no contexto nacional e internacional, alicerçados no capital humano, tecnologia e inovação.
Para o Reitor, o Centro em referência enquadra-se na implementação na nova missão, visão e valores da UEM e vai responder cada vez melhor aos desafios estruturais rumo à qualidade desejada na formação, investigação e extensão em hotelaria e turismo.
“A excelência em hotelaria e turismo é um desafio que a Escola já está a encarar com seriedade para contribuir na melhoria de competências técnico-profissionais e prestação de serviços de qualidade nos hotéis, restaurantes e bares onde o cliente e o turista, em particular, está disposto a pagar pela qualidade e conforto, desfrutando do que Moçambique tem de melhor a oferecer como produto turístico”.
Explicou que fruto do processo de transferência de competências de gestão das formações e da gestão do Centro, a Escola, em parceria com o Projecto de Apoio à Competitividade Empresarial e a Celf & Prime Consulting, levou a cabo, até ao momento, 366 acções de formação e capacitação de curta duração em guia de turismo, serviço de recepção, enologia, marketing, informática e língua inglesa, distribuídas em 174 mulheres e 217 homens. Trata-se de cursos frequentados por profissionais em exercício no sector de hotelaria que desejam aumentar as suas competências e/ou reconverter-se para outras áreas de actuação.
“Outras acções de formação ainda estão a decorrer em cozinha/pastelaria, restaurante/bar, recepção/serviços de andares, economato e controlo de custos num total de 58 formandos que vão terminar o ciclo em Setembro próximo”, disse o Reitor.