1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer

UEM atribui título de Doutor Honoris Causa ao Presidente da República

guebasA Universidade Eduardo Mondlane atribuiu hoje o título de Doutor Honoris Causa ao Presidente da República, Armando Emílio Guebuza, na especialidade da Economia do Desenvolvimento, em reconhecimento dos seus feitos no âmbito da sua acção como cidadão e dirigente máximo da Nação moçambicana em prol do desenvolvimento económico e social do país.
Pesaram ainda para a atribuição do título ao Chefe do Estado, o papel por si desempenhado na liderança de promoção da auto-estima, o desenvolvimento de infra-estruturas e de instituições de desenvolvimento.
Falando na ocasião, o Reitor da UEM, Prof. Doutor Orlando Quilambo, afirmou que as diversas iniciativas desenvolvidas pelo Presidente Guebuza durante o seu mandato, com destaque para o Fundo de Desenvolvimento Distrital (vulgo sete milhões), Fundo de Combate à Pobreza Urbana, Fundo da Paz e infra-estruturas, mostram a vontade de quebrar inércias, reinventar paradigmas e transformar.
Acrescentou que na sua vida, Guebuza soube quebrar com mestria as pontes entre o político e o educador, através das presidências abertas, que caracterizaram o seu modelo de governação. “Sempre atento, na sua função de educador e político, foi capaz de articular com eficiência, conhecimento e vida, ciência e prática, compromisso social e actividade política”, disse.
Segundo o Magnífico Reitor, foi por essa razão que o Conselho Académico da UEM decidiu aceitar a proposta da Faculdade de Economia, de atribuir o título de Doutor Honoris Causa em Economia do Desenvolvimento ao Presidente Guebuza.
“A sua grandeza de espírito, de ideias e ideais, o seu universalismo, nacionalismo, fazem de Sua Excia o Presidente da República uma figura que só pode encontrar na UEM, o local onde este seu legado poderá estar fielmente depositado”, afirmou Prof. Quilambo.
Momentos após receber as insígnias doutorais, Armando Guebuza afirmou que na sua governação tomou a decisão de descentralizar competências e recursos financeiros com vista elevar a auto-estima dos moçambicanos e acelerar o desenvolvimento sustentável, tomando como exemplo os sete milhões.
Referiu que todos os distritos passaram a dispor destes recursos para financiarem a produção de mais comida e geração de mais postos de trabalho e a consequente geração de renda.
“A auto-estima é a força motriz que nos permite gerar autoconfiança, fundamental na transformação de desafios e oportunidades. A auto-estima, que passa pela valorização do que é nosso, do que nos identifica, assume um papel primordial quando falamos de economia de desenvolvimento. É nesta matriz que se gera o desenvolvimento sustentável e, para sê-lo, deve ser endógeno e liderado pelos seus primeiros e últimos beneficiários, isto é, o nosso povo muito especial”, disse o Presidente.
Quanto a ele, a universidade moçambicana tem um papel fundamental na promoção da auto-estima.
A Universidade Eduardo Mondlane atribuiu hoje o título de Doutor Honoris Causa ao Presidente da República, Armando Emílio Guebuza, na especialidade da Economia do Desenvolvimento, em reconhecimento dos seus feitos no âmbito da sua acção como cidadão e dirigente máximo da Nação moçambicana em prol do desenvolvimento económico e social do país.
Pesaram ainda para a atribuição do título ao Chefe do Estado, o papel por si desempenhado na liderança de promoção da auto-estima, o desenvolvimento de infra-estruturas e de instituições de desenvolvimento.
Falando na ocasião, o Reitor da UEM, Prof. Doutor Orlando Quilambo, afirmou que as diversas iniciativas desenvolvidas pelo Presidente Guebuza durante o seu mandato, com destaque para o Fundo de Desenvolvimento Distrital (vulgo sete milhões), Fundo de Combate à Pobreza Urbana, Fundo da Paz e infra-estruturas, mostram a vontade de quebrar inércias, reinventar paradigmas e transformar.
Acrescentou que na sua vida, Guebuza soube quebrar com mestria as pontes entre o político e o educador, através das presidências abertas, que caracterizaram o seu modelo de governação. “Sempre atento, na sua função de educador e político, foi capaz de articular com eficiência, conhecimento e vida, ciência e prática, compromisso social e actividade política”, disse.
Segundo o Magnífico Reitor, foi por essa razão que o Conselho Académico da UEM decidiu aceitar a proposta da Faculdade de Economia, de atribuir o título de Doutor Honoris Causa em Economia do Desenvolvimento ao Presidente Guebuza.
“A sua grandeza de espírito, de ideias e ideais, o seu universalismo, nacionalismo, fazem de Sua Excia o Presidente da Repúblicazopta uma figura que só pode encontrar na UEM, o local onde este seu legado poderá estar fielmente depositado”, afirmou Prof. Quilambo.
Momentos após receber as insígnias doutorais, Armando Guebuza afirmou que na sua governação tomou a decisão de descentralizar competências e recursos financeiros com vista elevar a auto-estima dos moçambicanos e acelerar o desenvolvimento sustentável, tomando como exemplo os sete milhões.
Referiu que todos os distritos passaram a dispor destes recursos para financiarem a produção de mais comida e geração de mais postos de trabalho e a consequente geração de renda.
“A auto-estima é a força motriz que nos permite gerar autoconfiança, fundamental na transformação de desafios e oportunidades. A auto-estima, que passa pela valorização do que é nosso, do que nos identifica, assume um papel primordial quando falamos de economia de desenvolvimento. É nesta matriz que se gera o desenvolvimento sustentável e, para sê-lo, deve ser endógeno e liderado pelos seus primeiros e últimos beneficiários, isto é, o nosso povo muito especial”, disse o Presidente.
Quanto a ele, a universidade moçambicana tem um papel fundamental na promoção da auto-estima.