1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer

CeCAGe debate Implementação da Declaração de Beijing + 20 em Moçambique

centuriumO Centro de Coordenação para os Assuntos do Género da UEM (CeCAGe), em parceria com o Ministério da Mulher para a Acção Social e a ONU Mulheres debate, em Maputo, a Implementação da Declaração e Plataforma de Acção Beijing + 20 em Moçambique, lançado oficialmente em 1995, na China. Trata-se de uma iniciativa que preconiza o empoderamento da mulher em todas as áreas da vida.
De acordo com a Ministra da Mulher para a Acção Social, Yolanda Cintura, Moçambique registou avanços significativos nos domínios económicos e sociais, destacando-se as áreas do acesso a educação, participação das mulheres nos órgãos de poder e de tomada de decisão, acesso das mulheres aos cuidados de saúde, redução da mortalidade materna, aprovação da legislação sensível ao género, estabelecimento de políticas para o avanço do género, entre outros.
Segundo a governante, esses avanços dependeram de todos os intervenientes que, associando-se ao governo, têm garantido o empoderamento da mulher e a eliminação de todas as formas de descriminação contra a mulher.
"Estamos cientes que é crucial continuar a envidar esforços para o empoderamento da mulher em todos os sentidos, para que ela tenha uma prestação cada vez maior nos diversos domínios da nossa sociedade", frisou.
Yolanda Cintura afirmou que Moçambique não só acolheu as prioridades definidas pela Plataforma de Beijing, como também orientou essas prioridades nas respostas aos desafios enfrentados de acordo com cada realidade, consagrando-os em instrumentos importantes como a Política do Género e a Estratégia de sua Implementação e os diferentes planos para o avanço da mulher.
No evento, o Reitor da UEM, Prof. Doutor Orlando Quilambo, disse que a sua instituição orgulha-se pelo facto de, dos seus mais de 35 mil estudantes, 32 por cento serem do sexo feminino. "Este quadro é o reflexo da composição do ensino pré-universitário e médio," esclareceu.
xixloQuilambo afirmou que a UEM tem desenvolvido esforços para que a representação feminina no sistema seja cada vez mais significativa. Foi nesse espírito que a instituição introduziu cotas baseadas no género para a atracção do sexo feminino nos cursos mais críticos, como é o caso das engenharias.
Explicou que, desde 2009, através do CeCAGe, a UEM vem desenvolvendo um programa de formação ligado a orçamentação na óptica do género destinado aos gestores universitários, pessoal do CTA e estudantes, incluindo cursos de orientação, denominados de habilidades para a vida.
A semana do género foi instituída na UEM, em 2010, visando a criação de um espaço de reflexão sobre os assuntos do género e de promoção da igualdade do género na UEM, abordando assuntos de interesse da comunidade universitária e da sociedade, em geral. Segundo a directora do Centro de Coordenação para os Assuntos do Género da UEM, Generosa Cossa, é nesse contexto que decorre a quarta Edição da Semana do Género da UEM, cujo término está previsto para o dia 10 de Dezembro.