1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer

UEM lança mestrado em Ciências Actuariais

actuariaspictA Faculdade de Economia da UEM lançou oficialmente na tarde de ontem, 19 de Agosto, o Mestrado em Ciências Actuariais. O curso tem como objectivo prover o mercado de profissionais em conhecimentos e competências de alto nível na área de Actuariado, formando-os com base teórica/pluralista e uma abordagem dinâmica dos processos económicos e de gestão no sector financeiro, com capacidade analítica e crítica de realizar o cálculo actuarial e a gestão de riscos.
Os futuros mestres em Ciências Actuariais irão actuar nas empresas públicas e privadas, em fundo de pensões empresas seguradoras e de segurança social, Bancos, Consultoria e Auditoria.
As Ciências Actuariais são a área das técnicas de análise de riscos e expectativas, principalmente na administração de seguros e fundos de pensões.
Com a introdução deste curso, a Faculdade de economia cumpre assim a sua missão de formar quadros superiores nessa área e com vista a responder às necessidades e a procura do mercado no actual estágio de desenvolvimento do país. Por outro lado, este mestrado vem responder às exigências que constam do Plano Estratégico da UEM para a diversificação da oferta dos cursos.
O Mestrado em Ciências Actuariais tem o suporte financeiro do governo português e suporte técnico do Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade Nova de Lisboa (ISEG), que aliás deverá constituir o primeiro quadro docente a leccionar algumas disciplinas.
O Director do Curso, o Dr. Estácio Rajá, explicou que o Mestrado em Ciências Actuariais visa preencher uma lacuna existente no país, que é o de dotar o mercado moçambicano de profissionias com competências na área do acturiado.
O curso arrancou com uma turma composta por 40 estudantes.
Falando em representação do Reitor da UEM, o Vice-Reitor para a Administração e Recursos, o Prof. Doutor Ângelo Macuácua, afirmou que com este programa de mestrado, a UEM pretende juntar-se aos esforços do executivo moçambicano e do sector privado no desenvolvimento de um sistema financeiro sólido e sustentável através da formação de quadros especializados em ciências actuariais com forte domínio de técnicas da análise de riscos, exposição financeira e económica, expectativas económicas e financeiras, particularmente na actividade seguradora e de pensões, bancas e fundos de investimentos, áreas em que o país está carenciado.
Entretanto, Abiba Tamele, falando em representação da Ministra do Trabalho, Helena Taipo, afirmou que o governo moçambicano aprovou, recentemente, a Lei da Protecção Social que contempla os sistemas de protecção social básica, protecção social obrigatória e protecção social complementar. Estas últimas, segundo Tamele, necessitam de estudos actuariais períodicos de modo a aferir se as taxas contribuitivas e as reservas garantem ou não o pagamento dos benefícios ou os compromissos assumidos com os benefeciários. Igualmente, os bancos e as seguradoras necessitam de quadros especializados que garantam o cálculo dos riscos, de créditos e de activos e dos benefícios que oferecem.
Segundo a representante da Ministra do Trabalho, o mestrado ora lançado corresponde ás expectativas do governo porquanto vai contribuir para o fortalecimento e o enriquecimento dos cursos de formação oferecidos pelas instituições de ensino superior, em Moçambique.