UEM e AICS assinam memorando para financiamento de projectos de conservação da Biodiversidade

  • Imprimir

memo-uem-it

O Governo Italiano, através da Agência Italiana de Cooperação para o Desenvolvimento (AICS) vai financiar cerca de 3 milhões de euros destinados a apoiar projectos de preservação dos ecossistemas para o desenvolvimento sustentável a serem implementados na Ilha de Inhaca, apoiando directamente a Estação de Biologia Marítima de Inhaca (EBMI) através da Universidade La Sapienza de Roma.
O programa irá trabalhar com as comunidades identificadas para a reflorestação dos mangais e na criação de novas oportunidades de emprego. Com o efeito, a UEM e a Agência Italiana de Cooperação para o Desenvolvimento (AICS) assinaram hoje (26/11), em Maputo, um memorando de entendimento com vista a viabilizar vários programas em curso, particularmente no contexto da conservação da biodiversidade, mitigação e adaptação às mudanças climáticas, através de pesquisas cientificas.
Os projectos de mitigação às mudanças climáticas na UEM abrangem as Faculdades de Ciências, Faculdade de Agronomia e Engenharia Florestal, o Museu de História Natural, o Centro de Biotecnologia, Faculdade de Letras e Ciências Sociais, Escola Superior de Ciências Marinhas e Costeiras, Escola Superior de Desenvolvimento Rural e Escola Superior de Hotelaria e Turismo de Inhambane.
O Memorando prevê igualmente a troca e transferência de tecnologias, troca e partilha de documentos relacionados com o meio ambiente, biodiversidade e mudanças climáticas, incluindo programas, publicações e resultados de pesquisas. Prevê ainda intercâmbio, organização de visitas e workshops conjuntos.
Na ocasião, o Reitor da UEM, Prof. Doutor Orlando Quilambo, referiu que, através da cooperação com a Itália, foi possível o apoio à criação, apetrechamento e funcionamento das unidades académicas, formação de quadros da UEM nas diversas áreas de conhecimento, desenvolvimento e implementação de novos cursos de licenciatura, mestrado e doutoramento, apetrechamento de laboratórios, bibliotecas e aquisição de equipamento diverso.
Embora vários projectos já tenham atingido os resultados esperados, segundo o Reitor, há necessidade de refinanciamento para garantir a continuidade das actividades do reforço da qualidade académica na UEM, reforço da melhoria da eficiência da qualidade dos cursos e programas de ensino e o reforço da oferta formativa.
Por seu turno, o Director da Agência Italiana de Cooperação para o Desenvolvimento, Dr. Lucas Maetripieri, apontou a criação de parcerias com institutos científicos, o fortalecimento da rede de laboratórios, os investimentos na pesquisa científica sectorial para impulsionar a preservação do meio ambiente como os eixos em torno dos quais se concretizarão as iniciativas de cooperação.
Afirmou que o apoio da AICS privilegia uma abordagem científica baseada na investigação científica para a conservação da biodiversidade por acreditar que os centros de investigação são os polos onde se geram conhecimentos para os decisores de amanhã.
A Cooperação entre a UEM e a Itália data de 1977 e já foram celebrados mais de 70 instrumentos de cooperação com diversas instituições do Centro, Norte e Sul daquele país para implementação e financiamento de diversas iniciativas nas áreas de arquitetura e planeamento físico, agronomia e engenharia florestal, medicina, ciências, economia, letras e ciências sociais, biotecnologia, informática, TICs, assuntos do género, museus, documentação e arquivos, cultura e arte, entre outros.
Após a cerimónia de assinatura do memorando de entendimento com a UEM, o Director-Geral da AICS visitou a galeria da Reitoria da UEM e visitará ainda a Estação de Biologia Marítima de Inhaca.

memo-uem-it2