1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer

UEM realiza 1º Fórum dos estudantes da Pós-graduação

 

AEU-Forum-20211No âmbito das comemorações do Mês do Estudante, a Universidade Eduardo Mondlane, através da Associação dos Estudantes Universitários (AEU), em parceria com a Associação Industrial de Moçambique (AIMO), realiza hoje e amanhã (25 e 26/11), em Maputo, o 1º Fórum dos Estudantes da Pós-graduação (FOESPO). O evento tem como objectivo abordar de forma efectiva os desafios e oportunidades da pós-graduação atendendo a transformação da UEM em Universidade de Investigação, bem como aprofundar o diálogo com o sector produtivo.
O 1º Fórum dos Estudantes da Pós-graduação da UEM pretende igualmente eflectir sobre a participação do mercado de trabalho na formação de quadros com qualidade para competir no mercado global e discutir a contribuição dos formandos na colocação dos conhecimentos ao serviço das comunidades.
Na abertura, o Reitor da UEM, Prof. Doutor Orlando Quilambo, disse que o evento responde à Visão e Missão da UEM, aprovados em 2013, onde se define a investigação como alicerce dos processos de ensino e aprendizagem, extensão e inovação e responde também à política de investigação que preconiza a participação de todos, a todos os níveis.
Quilamabo frisou que a Pós-graduação na UEM está ainda na fase de inserção, onde os números de cursos têm vindo a aumentar de ano após ano como resultado dos esforços que as unidades estão a realizar no sentido de explorar todas as formas de ofertas deste nível de formação. Contudo, constatou ainda existir muita margem para acolher melhorias com vista a sua consolidação.
AEU-Forum-20213O Reitor reconheceu que os temas propostos para debate reflectem as principais preocupações no processo transformacional da UEM e apelou aos estudantes que os discutam de forma franca e proponham os melhores caminhos para o futuro. "Esperamos que discutam os desafios que temos que enfrentar internamente, o seu impacto na vossa formação, e a forma como lidam com o sector produtivo", disse.
No primeiro dia do encontro foi lançada a Plataforma do Diálogo entre a Academia e o sector produtivo.
Em representação da Associação Industrial de Moçambique, o Engº Paulo Sibanda, reconheceu que para o país alcançar a industrialização de forma consistente e estruturada, o parceiro certo é a academia por ser o sector responsável por cultivar através do conhecimento científico o talento que o país necessita para os desafios de um mercado cada vez mais global e competitivo.
AEU-Forum-20212Fez saber que a Plataforma do Diálogo entre a Academia e o sector privado ora lançado vai permitir a busca de soluções cientificas para o desenvolvimento da indústria em Moçambique. Nesse sentido, segundo a fonte, a AIMO olha para a academia como um lugar para a busca de talentos para a indústria, mas para tal esse talento deve ser lapidado ao nível do saber fazer para consolidar o aprendizado adquirido ao longo da formação académica. "Por isso, a AIMO quer através desta iniciativa lançar programas específicos como é o caso dos estágios académicos e a geração de startups industriais através dos quais os estudantes terão a possibilidade de desenvolver o seu talento e materializar projectos", frisou.
Por sua vez, o Presidente da AEU, Gimésio Cândido, justificou a realização do evento com o facto de, no entender daquela agremiação, ser na Pós-graduação onde repousa a confiança do futuro da investigação na UEM e no país, em geral.
Durante dois dias o evento junta estudantes, docentes, investigadores, sector privado e parceiros da UEM. Entre os temas para debate constam concepção, gestão e implementação da pós-graduação; e dinâmicas educacionais: recursos didáticos, financeiros e tecnológicos na pós-graduação.

AEU-Forum-20210