1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer

UEM e UN-Habitat promovem debate da revisão da Estratégia Nacional de Melhoramento dos Assentamentos Informais

 

Arquitectura-UNHabitat02Académicos, representantes das agências de cooperação e ONGs reuniram-se hoje (28/10), em Maputo, no âmbito da Revisão da Estratégia Nacional de Melhoramento dos Assentamentos Informais, um processo que está a ser levado à cabo pelo Governo de Moçambique, através do Ministério da Terra e Ambiente.
Com a actualização da Estratégia ora em curso pretende-se essencialmente introduzir as actuais tendências de mitigação às mudanças climáticas, e principalmente, ter em consideração a implicação do Ordenamento do Território atendendo ao crescimento desproporcional dos assentamentos informais.
Na abertura, o representante do Ministério da Terra e Ambiente, Dr. Joaquim Langa, garantiu que o ministério, no âmbito do seu mandato continuará a promover os vários instrumentos de elaboração de ordenamento territorial como forma de integrar e impedir o desenvolvimento dos assentamentos informais que muito pouco tem contribuído para o estabelecimento do desenvolvimento harmónico das comunidades das zonas periféricas, periurbanas e, em alguns casos, incluem mesmo as zonas urbanas rurais.
"Os resultados que nós esperamos devem principalmente promover o desenvolvimento das infraestruturas urbanas, a capacitação dos municípios, e a mobilização de recursos adicionais para a sua implementação e actividades de monitoria", disse.
Entretanto, o Director da Faculdade de Arquitectura e Planeamento Físico da UEM, Prof. Doutor João Tique, referiu-se a questão dos assentamentos como das mais complexas que o país enfrenta, uma vez que as pessoas continuam a viver nas cidades como se vivessem nas zonas rurais com sérios problemas de saneamento básico do meio e acesso a água potável, além de continuarem a viver em locais apertados.
Arquitectura-UNHabitat01Falando sobre o perfil dos assentamentos informais em Moçambique, o Prof. Doutor Albino Mazenze, da Faculdade de Arquitectura, fez saber que a área considerada urbana representa cerca de 3 por cento do território nacional e mais de 85 por cento da área urbana é composta por assentamentos informais. As áreas urbanas informais é a que mais crescem ao longo do país. Em termos de habitação, mais de 90 por cento da população vive em casa própria e 6 por cento em regime de arrendamento.
A fonte defendeu que a intervenção do Estado no planeamento do território deve estar orientado para os interesses gerais que se sobrepõem aos interesses particulares mas no caso de Moçambique, avança, esta acção não é bem entendida pelas comunidades. "Nós sabemos na prática quanto custa intervencionar um assentamento já implantado", disse.
Reconheceu que apesar de o país possuir uma Estratégia Nacional de Assentamentos Informais elaborado, em 2007, ausência de programas e recursos específicos direcionados para sua implementação contribuíram para o fracasso das acções que resultariam na melhoria dos assentamentos informais.
O workshop de revisão da Estratégia Nacional de Melhoramento dos Assentamentos Informais foi organizado pela UEM e UN-Habitat.

Arquitectura-UNHabitat

bahiscomyabancı dizi izleankara evden eve nakliyatevden eve nakliyatankara evden eve nakliyaten iyi forex şirketleriEn çok kazanan iddaa hazır kuponlarDeneme bonusu 2022Kıbrıs tüp bebek merkezi360 sanal turBetwoonDeneme bonusu Veren sitelerpiabet, piabet giriş, piabet giriş adresi, piabet güncel giriş, piabet güncelhttps://www.mediturkclinic.comhttps://www.babesoflondon.com3 boyutlu tursanal turankara nakliyatokey oynaoyunlar oynatavla oynabatak oynasilah oyunları #yaslikurt#babes of london Betpark giriş Betpark tv deneme bonusu veren siteler mobil bahis Kıbrıs tüp bebek merkezi Hack haber instagram hackleme sitesi Hack forum