Lançado o Co-Secretariado da Rede das Doenças Crónicas e Não Transmissíveis

  • Imprimir

 

ncdi-armindot

Foi lançado hoje (27/10), em Maputo, o Co-Secretariado da Rede das Doenças Crónicas e Não Transmissíveis e Pobreza (NCDI Poverty). Trata-se de uma plataforma criada pela Universidade de Harvard Medical School, dos EUA, que engloba instituições académicas de diversos países e pretende coordenar parcerias de actividades para o controle de doenças não transmissíveis nas populações mais pobres do mundo. Em Moçambique, o projecto é liderado pela UEM e espera-se que sejam desenvolvidas pesquisas (extensão e inovação) que ajudem a melhorar os cuidados com as doenças não transmissíveis nas zonas rurais.
Na abertura, o Ministro da Saúde, Prof. Doutor Armindo Tiago, fez saber que as doenças não transmissíveis são responsáveis por cerca de 1 um terço de todas as mortes ao nível do país. Entretanto, os factores de risco têm mostrado um aumento progressivo, segundo estudos realizados entre 2005 e 2015, tendo a prevalência da hipertensão arterial, por exemplo, passado nesse período de 33,1 por cento para 39 por cento. Enquanto isso, a prevalência das diabetes no mesmo período aumentou de 2.8 por cento para 7.4 por cento.
Segundo Armindo Tiago, o Ministério da Saúde está empenhado em criar um ambiente propício para a implementação do Programa de Controle de Doenças Não Transmissíveis, estando neste momento em implementação de pacotes essenciais de Doenças Não- Transmissíveis da Organização Mundial da Saúde (OMS).
ncdi-orlandoqO Ministro espera que o estabelecimento da Rede NCDI Poverty na UEM possa contribuir para melhorar a coordenação entre todos os intervenientes no contexto da nova política aprovada pelo governo que prioriza uma abordagem dos factores da saúde com base em determinantes sociais de saúde.
Na ocasião, o Reitor da UEM, Prof. Doutor Orlando Quilambo, reconheceu que em países como Moçambique há necessidade de avaliação e mapeamento das doenças determinantes de saúde pois representa ainda um grande desafio e tem constituído uma das agendas privilegiadas das agendas do governo. Por isso, o facto de a UEM acolher iniciativa constitui motivo de orgulho tendo em conta o seu contributo na materialização da sua missão de ensino e investigação, inovação e extensão, particularmente no campo da saúde.
De acordo com o Reitor, se por um lado, esta iniciativa pode contribuir para a consolidação de uma via de pesquisa na Universidade, por outro, o projecto vai contribuir para responder ao desafio da necessidade de ampliação da contribuição da UEM na melhoria do bem-estar dos cidadãos. "A iniciativa da rede vai ainda reforçar a posição da UEM e parceiros no mapa internacional da investigação, inovação e extensão constituindo uma mais-valia pelo reforço da pesquisa interdisciplinar e intradisciplinar com estudantes de pós-graduação na UEM", disse.
ncdi-anamO Co-Secretariado do NCDI Poverty na UEM é liderado pela Profª Doutora Ana Mucumbi, que além de liderar a investigação sobre a implementação das primeiras clínicas PEN Plus Moçambique, propõem-se a apoiar na exploração de formas de melhorar os cuidados com as Doenças Não Transmissíveis nas zonas rurais de Moçambique.
O Co-Secretariado NCDI Poverty deverá igualmente apoiar na identificação de soluções e mobilização de recursos para enfrentar os desafios críticos colocados pelas doenças crónicas não transmissíveis e lesões entre as pessoas mais pobres do mundo.

ncdi-plateia