1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer

UEM inaugura Museu de Arqueologia

uem-arq-2A Universidade Eduardo Mondlane procedeu hoje, 19 de Novembro, a inauguração do Museu de Arqueologia da Faculdade de Letras e Ciências Sociais (FLCS), um empreendimento a servir para expor o material arqueológico nacional, meio de ensino nas áreas de Museologia e Museografia e de pesquisa nas áreas afins.
Trata-se de um espaço multifuncional cuja actividade não irá circunscrever apenas a exposições arqueológicas como também irá estender-se a outras actividades com destaque para o lançamento de livros, palestras sobre os mais diversos temas, aulas de pós-graduação, exposições fotográficas, de pinturas, esculturas e outras actividades de expressão da intelectualidade.
Sob a gestão do Departamento de Arqueologia e Antropologia da FLCS, pretendendo-se que seja um dos pontos de referência da Universidade, o museu é a primeira entidade arqueológica em Moçambique que abarca todas as áreas de conhecimento arqueológico desde a idade da pedra inferior até as sociedades modernas, diferentemente de outros museus de arqueologia localizado fora da Cidade de Maputo que são especializados.
Discursando após o descerramento da placa e corte da fita, o Reitor da UEM, Prof. Doutor Orlando Quilambo, referiu que com a inauguração do Museu de Arqueologia, as pesquisas arqueológicas em Moçambique e os resultados das mesmas, passam a ser a tónica dominante nos debates académicos nacionais e internacionais, motivando assim o estreitar de relações e de cooperação entre esta instituição de ensino superior e outros países, com destaque para a Suécia e para o Projecto SIDA-SAREC, parceiro no contexto de pesquisa e de formação de arqueólogos.
Quilambo recordou que em 2011, a instituição que dirige, iniciou o curso de Arqueologia e Gestão do Património Cultural, que se pretende seja um dos alicerces do Museu ora inaugurado, ao combinar a teoria e prática, permitindo assim, que a motivação e interesse por estudos em Museologia possam ter a sua raiz neste espaço e, que desta forma, a Comunidade Académica e o público em geral tenham a oportunidade de, através da história de Moçambique em exposição, combinem o saber e o lazer.
“Almejamos que o Museu de Arqueologia, de hoje em diante, seja e assim se mantenha por muito tempo um local de eleição em termos de turismo cultural, turismo académico e de lazer para qualquer um que visite o nosso país, a nossa cidade e a nossa universidade”, manifestou o Reitor.
Para o Director da FLCS, Prof. Doutor Cláudio Mongoi, o Museu de Arqueologia deve ser um lugar de sapiência, de inspiração e um ponto de encontro de todos os fazedores da ciência e de produção de conhecimento sobre a História, a Geografia, as Línguas e Literaturas, a Sociologia, a Antropologia, a Ciência Política e a Administração Pública.
“Um lugar onde os diferentes saberes das humanidades e das Ciências Sociais se abraçam. Um lugar que se respire e transborde a paz, a harmonia e a coesão”, disse.
Por seu turno, o Arqueólogo e Chefe de departamento de Arqueologia e Antropologia, Prof. Doutor Hilário Madiquida, disse que sob a forma de artefactos, fotografias e filmes, a ideia é retratar a história de arqueologia e sua relação com a edificação e preservação de valores e princípios identitários que “nos capitalizam como moçambicanos, ideia continuamente reforçada em cada pesquisa que é realizada”.
“Pretendemos que no museu de arqueologia, ideias como África o Berço da Humanidade, a de expansão dos povos falantes das línguas bantu, encontrem espaço para sustentar o debate em torno das origens do homem e da sua evolução”, disse Madiquida.

museu-arq

 

torrent oyun Hasta Yatağı Fiyatları elektronik sigara fiyatları sesli sohbet şehirlerarası evden eve nakliyat çevrimsiz bonus veren siteler söve likit kocaeli escort buca escort kocaeli escort izmir escort porno porno izle porno porno izle sikiş maltepe escort ataşehir escort pendik escort maltepe escort