1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer

Mulheres empreendedoras capacitadas em Biotecnologia e Biociências

mulheres-empreendedorasInserida na iniciativa regional de Biociências designada "SANBio FemBioBiz", a formação abrangeu 11 mulheres moçambicanas que empreendem nas áreas de Biotecnologia e Biociências e tevelugar nos dias 08 e 09 do mês em curso no Espaço de Inovação da Universidade Eduardo Mondlane (UEM), com o objectivo de fomentar o estudo, desenvolvimento e inovação nestas áreas de conhecimento em Moçambique.
A capacitação visou, igualmente, despertar o interesse de Pequenas e Médias Empresas (PMEs) na área de Biotecnologia, bem como aumentar a empregabilidade de mulheres moçambicanas através do empreendedorismo e permitiu a interação e a partilha de experiências entre as participantes provenientes das diversas empresas e de diversos intervenientes estrangeiros.
Financiada e assessorada tecnicamente pelo governo da Finlândia, a capacitação é implementada pelo Centro Nacional de Biotecnologia e Biociências, em estreita colaboração com a DEV Moçambique em parceria com a NEPAD SANBio e apoiada pelo Programa BioFISA II.
Falando na cerimónia do encerramento da formação, a Vice-ministra da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Tecnico Profissional, Profa. Doutora Leda Hugo, disse estar expectante que a capacitação, ora terminada, tenha estimulado e encorajado o surgimento de novas indústrias e empresas que farão a interligação entre a pesquisa e inovação com o sector produtivo nacional com vista a melhoria da produção e da produtividade.
A governante espera do mesmo modo que com a formação, Moçambique, um território com uma rica biodiversidade, esteja na dianteira da valorização dos recursos biológicos que "nos obriga a uma urgência na formação do capital humano especializado" e a implantação de infra-estruturas dotadas de capacidades para o desenvolvimento da pesquisa, da inovação e de soluções científicas baseadas na Biotecnologia.
Enfatizou que a Biotecnologia e as Biociências são importantes para a melhoria dos cuidados de saúde; para o desenvolvimento da indústria; para a sustentabilidade ambiental e para o alcance de soluções a curto e médio prazo para os desafios de desenvolvimento dos sectores de agricultura, saúde, pescas, ambiente com realce para os recursos marinhos e florestais.
A Vice-reitora académica da UEM, Profa Doutora Amália Uamusse, congratulou aos organizadores e parceiros do evento pela oportunidade que conferiram à esta prestigiada instituição do ensino superior em Moçambique para hospedar o evento e mostrou abertura à futuras parcerias nestas e noutras actividades de interesse para a UEM e para o país, no geral.
Para a embaixadora da Finlândia em Moçambique, Laura Torniven, a iniciativa é importante para o seu país pois se enquadra na sua política de cooperação para o desenvolvimento e do apoio ao sector privado e para a criação do emprego e da equidade de género.
A diplomata espera que o curso abra novas perspectivas para o desenvolvimento de novas ideias de fazer negócios nas áreas de Biotecnologia e Biociências numa altura em que a segurança alimentar ainda continua um grande desafio para Moçambique.
Lembrou aos presentes que o evento acontece numa altura em que a Finlândia completa 100 anos da sua independência e os 40 anos de cooperação formal com Moçambique.
Na ocasião foi premiado em cerca de dois milhões de meticais, o melhor projecto inovador na área de Biotecnologia que consistirá na redução dos níveis de colesterol nos frangos através da alimentação desses frangos com base na casca de banana transformada para o efeito.
O representante da GAPI (instituição financeira para o desenvolvimento), Francisco Souto, explicou que o projecto vencedor responde cabalmente aquilo que o governo de Moçambique procura, que é melhorar a qualidade de alimentação e por corresponder com as políticas e estratégias da entidade financiadora da formação.
Refira-se que Moçambique começou a fase de direcionamento das linhas de pesquisa da Biotecnologia em 2011, através do início de implementação do Programa Nacional de Biotecnologia (PNB), que promoveu acções estruturantes à investigação científica, o desenvolvimento de produtos e serviços de valor acrescentado e estabeleceu normas e regulamentos para a sua aplicação como instrumento de transformação económica e social bem como para a conservação e gestão sustentável de recursos biológicos e da biodiversidade do país.

Pendik Escort