1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer

Parceria entre UEM e ENH vai dinamizar pesquisa em hidrocarbonetos

memo-uem-enhA Universidade Eduardo Mondlane (UEM) e a Empresa Nacional de Hidrocarbonetos (ENH), assinaram hoje (11/06/18), em Maputo, um Memorando de Entendimento que tem por objectivo central, a concertação de esforços para a concepção, implantação e desenvolvimento dos curricula dos cursos de licenciatura e de pós-graduação em Engenharia Petrolífera na UEM.
A colaboração inter-institucional vai abranger, a promoção efectiva da formação superior de quadros no domínio da indústria petrolífera; a partilha de espaços e materiais ou substâncias de oficina para o treinamento prático de docentes e discentes da UEM, na ENH; a concessão de oportunidades de aperfeiçoamento teórico-prático a profissionais de ambas instituições, bem como, a realização conjunta de estudos do domínio do petróleo e gás, pelas partes.
Outrossim, a parceria ora firmada vai permitir a coordenação do treinamento e aperfeiçoamento profissional em actividades práticas para estudantes e pessoal em ingresso no mercado do trabalho do petróleo e gás; a realização da investigação e extensão universitária conjunta e, a criação de fundos de investigação e extensão, em campos de interesse comum, incluindo a divulgação de iniciativas conjuntas.
Discursando após a rubrica do Memorando, o Reitor da UEM, Prof. Doutor Orlando Quilambo, referiu que a parceria constitui uma resposta dos desafios do País na área de hidrocarbonetos e permitirá diminuir, a longo prazo, a dependência da formação académica, técnica e profissional, “que além de onerosa as vezes é descontextualizada”.
“Acreditamos que a parceria vai constituir mais-valia ao nível da formação e da capacitação de futuros profissionais, os quais saberão interpretar e responder da melhor forma às mais variadas demandas deste sector” disse Quilambo, para quem o acordo permitirá a realização de acções que garantam a maximização dos benefícios sociais e económicos da exploração dos recursos naturais que despontam em Moçambique.
Por seu turno, o PCA da ENH, Dr. Omar Mithá, referiu que a implementação do acordo vai viabilizar o desenvolvimento de recursos humanos no sector, elevando a participação de mais moçambicanos na transformação dos cerca de 170 trilhões de pés cúbicos de gás natural.